segunda-feira, 30 de julho de 2018


Workshop em Lisboa, de 8 a 12 de outubro
   

http://act-escoladeactores.com/act/workshop-de-clown/


Silvia Leblon, atriz, palhaça e diretora, fundadora do núcleo NaCompanhiaDosAnjos, da Cooperativa Paulista de Teatro – São Paulo/Brasil, iniciou o estudo do clown em 1995 no LUME – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp-SP, referência mundial na pesquisa da arte do ator. A partir do encontro com a canadense Sue Morrison, que trabalha “o clown através de máscaras”, o palhaço sagrado dos índios norte-americanos, montou o seu solo de palhaça: Spirulina em SPATHÓDEA, sob a direção de Ricardo Puccetti (Lume Teatro), peça oito vezes premiada. Dedica-se ao estudo e treinamento da arte do ator/palhaço/bailarino, actuando, dirigindo, produzindo espetáculos e ministrando oficinas e treinamentos em sede própria na cidade de São Paulo, em outras cidades e estados do Brasil e recentemente na Europa.




Workshop em Berlim, dias 7, 8 e 9 de setembro

Clowning - Body, Presence and Play with Silvia Leblon (BR)


https://www.facebook.com/events/475002902911858/



Oficina Corpo, estado e criação no jogo do palhaço 


A Casa 11 recebe Silvia Leblon para o curso “Corpo, estado e criação no jogo do palhaço”.

Dias 04 e 05 de Agosto (sábado e domingo) das 10:00 às 18:00. O curso oferece aos participantes recursos técnicos, como ferramentas de acesso ao estado do palhaço, marcado pela inocência e pela vulnerabilidade, e outros estados pelos quais ele possa transitar. A oficina apresenta um treinamento físico como meio de construção de um estado corporal extra-cotidiano, potencialmente ativo para o exercício do jogo, do ridículo e do ingênuo.

Para mais informações sobre o curso ou acesse a nossa página:
http://www.casa11.com.br/silvia-leblon

sábado, 12 de maio de 2018

SESC - Santos
Dia 13/05 - 17:30 hs



Cabaré do Povo Parrir e Pacantar


Com Povo Parrir e grupo Sabuká Kariri Xocó 


COM A PARTICIPAÇÃO DE SILVIA LEBLON





O projeto Povo Parrir é um projeto que pesquisa a sacralidade do riso junto a povos indígenas, a partir da figura dos Hotxuás, pajés do riso do Povo Indígena Krahô, que têm a função social de “fazedores de riso”. Todas as diferenças, as múltiplas formas de viver e existir, estão gritando por um lugar no mundo. 

O Povo Parrir precisa estar junto promovendo rituais de riso e celebrando nossa humanidade. Desde 2015, já se encontrou com povos krahôs, kariris xocós e guaranis. Neste cabaré, palhaços se juntam ao grupo Sabuká Kariri Xocó de Alagoas, num encontro de povos, cantos, danças e rituais. 

SESC Santos  -  Auditório 
R. Conselheiro Ribas, 136 - Aparecida, Santos - SP

"Antes as pessoas viviam em círculo, aí elas podiam se ver e ver o importante lá no meio. O importante é aquilo que é meu e nosso ao mesmo tempo. Alguns chamam o importante de sagrado, mas é mais fácil chamar o importante de comum, aquilo que todo mundo tem. Planta tem, montanha tem, bicho tem e pessoa também tem."

Uma bonita foto do importante, registrada no Cabaré do Povo Parrir e Pacantar no Casarão, em Campinas.
E amanhã tem de novo, no Sesc Santos, às 17:30h!



Fotos do SESC Santos
por Caio Petrônio





















sábado, 28 de abril de 2018

 Silvia Leblon participa da leitura. 
No Centro de Pesquisa e Formação do Sesc.





 
 







sexta-feira, 6 de abril de 2018

Arquivo do blog